sábado 05 novembro, 2016

Sobre a equação de Drake


O Astrônomo Frank Drake, em 1961, formulou uma equação probabilística que permite avaliar a existência de vida inteligente fora do planeta Terra. Na formulação da equação foram consideradas sete variáveis:

N=A \times B \times C \times D \times E \times F \times L

Sendo, N o número de civilizações que existem atualmente na galáxia.

E cada variável tem o seguinte significado:

A é a quantidade média de novas estrelas que aparecem a cada ano na galáxia;

B é o percentual de estrelas que tem sistemas planetários;

C é o percentual de sistemas planetários (A) que tem planetas habitáveis;

D é o percentual de planetas habitáveis (C) em que surgiram vidas;

E é o percentual de planetas (A) em que a inteligência surgiu;

F é o percentual de planetas (A) em que a sociedade tecnológica surgiu;

L é a duração média (em anos) de uma civilização tecnológica.

Resumindo a importância dessa ideia toda. Se a duração de uma civilização tecnológica for de 1 milhão de anos, o número dessas civilizações na galáxia será de 1 milhão, de modo que a distância média entre uma ou outra será na ordem de 150 anos luz. Uma mensagem demoraria no mínimo 300 anos para chegar ao destinatário e obtermos a resposta.

Então, somos menos do que um grão de areia numa praia deserta!


One Comentário

  • Marcio Campana disse:

    Falae Cleibson

    Trabalhamos juntos no Centro de Inovação da Microsoft. Acho que deve se lembrar.
    Talvez você lembre também de ter discordado de mim, dizendo que a equação de drake não era estatística e então mão faria sentido para explicar o universo porque ela não considera os erros aleatórios do mundo.
    Mas lendo seu post, hoje eu tenho certeza que está concordando comigo.
    Abraço pra você meu amigo e mande notícias.


Trackbacks e Pingbacks

Deixe um Comentário


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *